Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O meu primeiro degrau

por Anabela Crespo, em 26.11.13

Hoje diverti-me imenso numa entrevista de trabalho.

É um trabalho temporário (Christmas temp) numa loja que comercializa uma marca de roupa inglesa - Topshop/Topman.

Éramos, maioritariamente, mulheres e todas com estilos diferentes, umas mais produzidas que outras, enfim diferentes.

Ao meu lado no grupo (porque se tratava de uma entrevista em grupo) estava uma rapariga espanhola (somos vizinhos em todo o lado :)).

O grupo foi dividido em subgrupos.

A primeira etapa da entrevista consistia em elaborarmos um poster onde identificaríamos as principais características de um/a "sales advisor". 

No princípio senti-me retraída, não sabia o que havia de sugerir para escrevermos. Uma das minhas colegas começou por desenhar uma boneca, que representava uma "sales advisor", e depois identificou a primeira característica. Eu consegui relaxar e também participei na elaboração do poster. 

A etapa seguinte consistia em explicar aos restantes (potenciais) candidatos aquilo que havíamos escrito. Neste momento pensei "vou deixar que sejam as minhas colegas a explicar". Efectivamente esta seria a decisão mais fácil e confortável para mim. Mas não consegui ficar na minha "zona de conforto" e depois de uma das minhas colegas de grupo começar a falar, tomei a palvra e falei diante de todos também, explicando aquilo que tínhamos escrito no nosso poster.

Terceira etapa. Cada grupo tinha que escolher um conjunto de roupa, respectivos acessórios e calçado. 

Escolhemos algo com o qual não me identifico minimamente e, por isso, fiquei bastante apreensiva, pois como é que ia conseguir explicar aos outros o   porquê de termos escolhido o que escolhemos. Mesmo assim consegui fazê-lo. 

Por fim, foi perguntado se sabíamos quais as tendências deste Inverno, quem soubesse pusesse a mão no ar. Nesta altura já não havia receio ou vergonha que me impedisse de particpar ou falar e lá opinei eu: "check shirt" (camisa de xadrez). Afinal de contas eu tinha estudado a lição em casa :).

Independentemente do resultado da entrevista (que espero que seja positivo, vai ser positivo) foi uma óptima experiência, pois permitiu-me vencer aquelas vozinhas que às vezes se "instalam" em nós: a vozinha do medo, da vergonha e da insegurança. 

O medo, a vergonha e a insegurança surgem, essencialmente, porque a língua em que nos expressamos não é a nossa língua mãe. 

 

E sabem que mais, duas horas e meia depois da entrevista, telefonaram-me a dizer que tinha ficado com um dos empregos :)

 

HAPPY DAY, EVERYONE !!!

 

 

"A vida é maravilhosa se não se tem medo dela." (Charles Chaplin)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15


1 comentário

De delia a 27.11.2013 às 06:09

Parabéns querida com emprego. E força ! :))

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D